Felipe Lôbo

Texto da autoria de Felipe Lôbo

Era um dia daqueles: vazio, parado, morno. Tempo estava sem nada para fazer. Só passava. De trás pra frente, avante. Sempre positivo, nunca olhava para trás. Apontava e remava rumo ao desconhecido.

Ultimamente estava incomodado com uns boatos que o atingiam. Afinal nunca mexeu com ninguém, sempre foi pacifista. O que o deixava perplexo era esse reboliço interior repentino, algo que nunca sentira. Costumava internalizar tudo e colocar no passado. Bastava a si próprio. É como dizia seu pai: é só dar Tempo ao Tempo. Ele supera.

Resolveu desanuviar o pensamento. Foi ao bar do Amor. Quando ia lá sempre se sentia mais leve, até superpoderes parece que ganhava, tornava-se mais rápido e agradável. Encontrou sua amiga Paciência. Gente boníssima, como dizia Justiça. Para homenageá-la foi logo pedindo o Paciência drink’s, que não andava muito popular, mas dizem os antigos, bastante saboroso. Sorveu de um só gole e foi logo abrindo o coração.

– Paciência! Minha cara amiga. Tão dizendo por aí: “Tempo é dinheiro”, “Tempo é dinheiro”. Num aguento mais.

– É Tempo, tão dizendo mesmo.

– Logo eu. Eu que nasci com o Universo. E desde pequeno tô nessa batalha de expandir, desbravar, procurar o inexistente. É uma tamanha falta de consideração. De grande ideia virei papel, e ainda mais amigo da Ganância. Vê se pode isso.

– Também acho a maior sacanagem. Se eu fosse tu parava um pouco. É o que sempre faço. Aí o povo ia ver o quão grande és tu.

– Ah! Paciência! Bem sabes que não posso parar. É fardo de nascimento, tá nos genes, como dizem aí.  Queria só que me dessem atenção, com leveza, sem pressa.

Passaram-se dias e Tempo foi ficando esquecido. A coisa se agravou com o boato do “Tô sem Tempo” e quando a coisa toda se engrandeceu, ninguém realmente lembrava-se de Tempo. No corre-corre tudo era pra ontem. Tudo se tornou tão rápido. Tão efêmero que nem o Tempo viu. Naquela segunda-feira de rush, Tempo virou a Porra – como dizem na Bahia – deu meia volta e começou a retroagir. Rompeu com a genética, com as tradições e com a lógica. Foi procurar um momento de beleza que deixou pra trás. Talvez um filho minuto ou uma filha hora que valesse a pena.

Anúncios

Um comentário sobre “Felipe Lôbo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s