em casa

dias felizes.

tinha amor.

era café coado em pano; como goteira em chuva fina; como estampidos de lenha que vira brasa.

riso, calça arriada, gozo rápido, outro lento.

era uma taça de vinho, um copo de uísque.

um vinil do cartola: samba, bossa nova, bolero.

era atravessar no sinal vermelho. parar no verde. era transgredir.

um pôster da amelie na parede. era vermelho no verde.

era um cheque-mate. um ás de copas com uma dama de espada.

jogar moedas no porquinho, quebrar um mês depois com o martelo.

era se equilibrar na cadeira, nos dias.

sol morrer, lua nascer.

dias felizes!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s