tu!

ele tinha alma de poeta. mais. tinha os sentidos de poeta. palavras? sabia sacramentá-las, profaná-las, emoldurá-las.

sentia o cheiro do dia. mirava o brilho da noite. perdia e achava as estrelas distantes. sentia o perfume em tudo.

na hora de escrever:

saracoteava.

bamboleava.

se ria.

chorava.

e bebia a lua como cachaça. boêmio.

quando parecia que nada faltava: percebeu que não tinha amor.

sem gosto. sem cor. sem cheiro.

só por isso era poeta.

Anúncios

7 comentários sobre “tu!

  1. Saudade, Grê!!!
    Gostei muito desse conto, realmente revela a matéria-prima que se inspira o poeta e a alma solitária de amor do poeta que muitas vezes tenta viver o amor desejado em seus poemas, mesmo que seja pra sofrer de amor.

    Besitos!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s